Olhar Conceito

Quinta-feira, 24 de junho de 2021

Colunas

Ser magra é simples...

Autor: Isolda Risso

30 Jul 2015 - 14:20

Arquivo Pessoal

Antes que surja alguma especulação a respeito da minha saúde mental, informo que além de não estar demente, reafirmo que ser magra é simples sim, não é fácil, mas é simples.

Salvo em casos onde haja distúrbios endócrinos, ser magra é uma questão de opção, sou eu e vosmecê quem define ser magro(a) ou não.

Você poderá pensar : agora ela endoidou de vez.

Ainda não.... Quando estiver próxima do manicômio, dou um jeito de te avisar, até lá vamos ter um papo mais de perto a respeito deste fantasma que ronda nossas vidas.

Acredito que não fazemos essa escolha conscientemente, porém consciente ou não, quem comanda nosso corpo somos nós e ponto.

Porque advogo que ser magra é simples?

Porque é uma questão de escolha mais vontade real seguida de atitude.


Escolhemos ser magros e a partir daí nossas atitudes deverão estar em comunhão com o que desejamos.

O desejo de possuir um corpo com o peso e medida equilibrada pode ser ardente,mas o preço que se paga para atingir este objetivo com certeza é mais ardente ainda, ao menos inicialmente.

Não estou falando em valores com intervenções cirúrgicas, novas técnicas revitalizadoras , cremes ,massagens, personal ou dos inúmeros recursos que hoje dispomos para modelar nossa silhueta,que são caros não resta duvida alguma, mas para quem tem o $ não chega a ser problema e para quem não dispõe de tanta facilidade assim ,um bom planejamento financeiro, e dividindo em muitas parcelas a frente, poderá te oportunizar umas gordurinhas a menos e uma cinturinha de pilão.

O preço a que me refiro, é o preço da reeducação alimentar e emocional. Colocar na agenda a hora de se exercitar de forma que nesse horário você passe a respeitar igual ao seu horário de ir trabalhar.

Assim como não tem essa de hoje não vou trabalhar, não tem de hoje não vou malhar.O só hoje vou abusar passa a ser:só hoje vou me controlar.

O maior desafio para quem deseja manter um peso equilibrado é disciplinar-se.

Faça chuva ou faça sol a disciplina devera ser mantida.

No inicio toda mudança de hábito é difícil, exige muito e se nossa vontade e empenho não for forte, os resultados não aparecem.

Porém, depois de um tempo perseverando passa a ser normal, entra no piloto automático e você não sente mais aquela preguiça inicial.

Eu já passei por varias fazes, já fui magérrima, já fui gorda, já fiz todo tipo de dieta, já enfiei o pé na jaca inúmeras vezes, mas nada foi tão eficiente quanto o método do AA.

Evite o primeiro abuso e se abusar não se martirize, volte para o caminho anterior e toca em frente. Só vale recair três vezes por semana né.

Eu me utilizei dessa metodologia duas vezes, a primeira quando resolvi parar de fumar, a segunda quando a balança subiu demais.

Fumei por 25 anos, até que chegou o dia que disse: basta, não quero mais isso para mim e dali em diante passei evitar o primeiro cigarro.

Estou longe da fumaça já se vão 19 anos.

Sou uma fumante em abstinência, tenho consciência de que se pegar um cigarro hoje, amanha estarei fumando uma carteira.

Ter compreensão das minhas limitações é crucial para me nortear.

Quando engordei muito e para retornar meu peso ideal, voltei a fazer uso dessa ferramenta.

Não me privo de comer o que gosto, mas como em porções menores e não todos os dias.

Saio para jantar, não entro no cinema sem meu pacote de pipoca, vou a festas de criança, como brigadeiro, tomo meu vinho, enfim não passo vontade de comer nada, mas aprendi a dosar e para isto quando a gula bate eu digo a mim mesma:vou resistir a mais um brigadeiro só agora.

A proibição atiça mais a vontade e a tentação fica muito maior.

Outra coisa que aprendi fazer e faço quando bate aquela vontade de comer tudo que vem pela frente é me perguntar: você esta com fome de que?

Paro e ouço a resposta que vem de dentro, nunca é fome de comida.
Se você quiser tentar, tente... vai funcionar.

--

*Isolda Risso é pedagoga por formação, coach, cronista, retratista do cotidiano, empresária, mãe, aprendiz da vida, viajante no tempo, um Ser em permanente evolução. Uma de suas fontes prediletas é a Arte. Desde muito cedo Isolda busca nos livros e na Filosofia um meio de entender a si, como forma de poder sentir-se mais à vontade na própria pele. Ela acredita que o Ser humano traz amarras milenares nas células e só por meio do conhecimento, iniciando pelo autoconhecimento, é possível transformar as amarras em andorinhas libertadoras.

Comentários no Facebook

Redes Sociais

Sitevip Internet