Olhar Conceito

Segunda-feira, 18 de janeiro de 2021

Notícias / Gastronomia

Cuiabanos deixam a cerveja de lado e consomem mais vinho no frio; consultor ensina como escolher

Da Redação - Laura Petraglia

25 Jul 2013 - 08:43

Foto: Laura Petraglia/Olhar Direto

O consultor de vinhos do supermercado Big Lar, Mário Marcio de Campos, com o rótulo mais caro do local que custa mais de R$ 3 mil

O consultor de vinhos do supermercado Big Lar, Mário Marcio de Campos, com o rótulo mais caro do local que custa mais de R$ 3 mil

Com a chegada do frio, a população cuiabana que figura entre os primeiros lugares no ranking do consumo de cerveja no Brasil, deixa um pouco esse ‘hábito refrescante’ de lado para consumir outra bebida, o vinho.

O clima tem figurado na casa dos 10 graus e devido ao aumento no consumo das comidas mais caudalosas, de pratos quentes com consistência mais fortes, dos queijos de meia cura nos founds, e também dos chocolates, o ideal é o consumo de os vinhos tintos de médio corpo e os encorpados, ensina o consultor de vinhos do supermercado Big Lar, Mário Marcio de Campos.

Bares de Cuiabá investem em comidas quentes para atrair clientes; hoje tem Cozidão no Chorinho
Quando bate o frio, cuiabano parte para o improviso e "remedeia co que tem"

De acordo com o consultor, na hora de adquirir bom um vinho, o segundo questionamento após saber qual combina com o tipo de comida que irá servir é: quanto está disposto a investir nesta garrafa?

“É possível encontrar bons rótulos com diferentes faixas de preços e fazer boas aquisições para harmonizar com caldos, queijos de meia cura, comidas a base de carnes molhos mais condimentados e founds de carne, queijos e frutas com chocolate”, diz.

Na faixa entre R$ 30 e R$ 40 para quem não tem o hábito de beber vinhos mais encorpados, a dica é o tinto Pinot Noir Wood Bridge, um vinho leve e fácil de beber. Ainda na linha dos mais suaves e em conta, Mário indica o Casa Valduga Naturelle, também com as mesmas características.

Para paladares um pouco mais apurados, um rótulo com preço razoável é o italiano tinto meio seco iSolea, da Cantina Cellaro. Outra dica de tinto médio corpo na faixa entre R$ 30 e R$ 40 é o Luccarelli Primitivo Puglia. O tinto seco português Vale da Mina também figura nessa faixa de preços.

Numa faixa de preços entre R$ 50 e R$ 80 o consultor indica o Malbec Alta Vista Premium, o Bodega Septima e os Cabernets Sauvignons Santa Carolina e Greg Normam, todos tintos mais encorpados.

Para a sobremesa e com chocolates meio amargos e porcentagem de cacau variando entre 70% e 85% de cacau, a dica são os vinhos licorosos, como o do Porto, por exemplo.

Comentários no Facebook

Redes Sociais

Sitevip Internet