Olhar Conceito

Sexta-feira, 10 de julho de 2020

Notícias / Dra. Ana Paula Barbosa - Odontologia

Cirurgiã Dentista fala sobre o que fazer se seu filho sofrer um traumatismo dentário

Ana Paula Barbosa

19 Mar 2018 - 17:26

Foto: Reprodução / Ilustração

Cirurgiã Dentista fala sobre o que fazer se seu filho sofrer um traumatismo dentário
Durante a infância é comum que as crianças, que levem tombos aprendendo a andar, correndo, brincando e andando de bicicleta, acabem batendo os dentes. Por isso é importante que os pais saibam como proceder no caso de um acidente para conseguir “salvar” o dente ou, pelo menos, diminuir o dano causado.São vários os tipos de traumatismo que podem acontecer com os dentes , tecidos moles ( lábios, língua, bochecha), tecido ósseo e de sustentação. Para cada caso há uma indicação de tratamento e controle .As maiores complicações devido a traumas, tanto nos dentes de leite como nos dentes permanentes, acontecem por falta de atendimento imediato e controle realizados no consultório pelo profissional.

Leia também:
Cirurgiã Dentista fala os mitos e verdades sobre o dente do siso

O que os pais precisam saber:

1- Que o dente de leite tem raiz e que no seu interior existe um canal por onde passam nervos e vasos sangüíneos (polpa). Também que o dente permanente está sendo formado muito próximo desta raiz, desde que a criança nasce. Assim, existe o risco de haver alguma sequela no dente permanente dependendo do tipo de trauma sofrido.

2-Que todo dente que sofre traumatismo tem que ter acompanhamento clínico e radiográfico no consultório, pelo período de no mínimo 1 ano e 6 meses para os dentes de leite e de 5 anos para os dentes permanentes, pois podem acontecer complicações decorrentes do trauma ao longo desse tempo .

3- Que nem sempre o dente afetado por trauma apresenta alteração da cor. E se houver, nem sempre isso indica perda de vitalidade do dente e consequente necessidade de tratamento . Caberá ao profissional avaliar se haverá indicação de algum tratamento ou apenas continuidade do controle periódico.

4- Que mesmo os “pequenos” traumas nos dentes de leite, onde só há um leve sangramento, precisam de atenção.

O que fazer no caso de trauma dental:

1 - Se possível, procure entrar em contato com o Dentista imediatamente, em qualquer horário. Em alguns casos uma orientação adequada por telefone ajuda os pais a lidarem com a situação.

2 - Se houver muito sangramento, procure estancá-lo através de gaze, toalha, lenço ou gelo a fim de ver de onde está vindo o sangue.

3 - Nos casos em que acontecem sangramento e/ou aumento da mobilidade do dente , pode ter ocorrido uma fratura de raiz, e o atendimento deve ser o mais rápido possível. O raio x poderá confirmar a presença de fratura.

4-Quando o dente sai parcialmente da posição ( extrusão ou luxação), quanto mais rápido for reposicionado maiores são as chances de ser recuperado.

5 - Quando o dente permanente sai totalmente ( avulsão dental ) , quanto mais rápido for reimplantado, maiores serão as chances de sucesso. Se conseguir, reposicione o dente no local onde o dente estava (alvéolo dentário) ( sem tocar na raiz, pegue o dente pela coroa) e procure imediatamente o dentista. Caso contrario, coloque o dente num recipiente com soro fisiológico, leite ou saliva e deixe que o profissional faça o reimplante . Se isso acontecer com o dente de leite, o reimplante não está recomendado, pois a chance de sucesso é minima. Mas é muito importante que o profissional examine a criança o mais rápido possível.

6 - Se o dente “sumiu” e você não o encontrou, é possível que ele tenha sofrido uma intrusão total, ou seja, tenha entrado completamente no osso alveolar. O dentista irá radiografar e determinar o tratamento. Às vezes, essa intrusão ( dente entrar) é parcial.

7 - No caso de quebrar uma parte do dente e esta for encontrada, coloque-a no soro, leite ou saliva e procure o dentista, pois dependendo do tamanho do fragmento, é possível fazer sua colagem no dente, recuperando-o esteticamente.

Como é possível prevenir traumatismos dentários?

“Com criança, todo cuidado é pouco”. Lógico que existem situações inesperadas e em questão de segundo o trauma acontece. Mas é bom:

- Evitar situações de risco como o uso de andadores para bebês;

- Ser mais cauteloso com a criança que está aprendendo a andar;

- Usar a escada para entrar e sair da piscina;

- Não correr descalço em chão molhado;

- Usar protetores bucais para prática de esportes de risco;

- Não andar e/ou correr com objetos na boca (mamadeira, copo, caneta, brinquedos);

- Usar sempre o cinto de segurança quando estiver no carro.


*Ana Paula é ​cirurgiã bucomaxilo facial plantonista do Pronto-Socorro Municipal (PSM), professora de residência em Cirurgia Buco-maxilo-facial no Hospital Universitário (HGU), mestre pela Universidade de Cuiabá (Unic) em Ciência Odontológicas, e doutora pela Universidade de São Paulo (USP).
A Dra. Ana Paula atende na Rua Buenos Aires, 525. Jardim das Américas. Telefones (65) 3052-4696 e (65) 99233-4696.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Conceito. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Conceito poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Redes Sociais

Sitevip Internet