Olhar Conceito

Terça-feira, 22 de setembro de 2020

Notícias / Gastronomia

Em Cuiabá, até ‘cervejeiros’ estão migrando para o vinho: consumo subiu 72% no país

Da Redação - Isabela Mercuri

05 Ago 2020 - 15:00

Foto: Reprodução / Ilustração

Em Cuiabá, até ‘cervejeiros’ estão migrando para o vinho: consumo subiu 72% no país
Trancadas em casa durante o isolamento social, a população brasileira está se dedicando a conhecer novos rótulos de vinho. Muitos que eram adeptos de outras bebidas, inclusive, decidiram se aventurar por este novo mundo. Segundo uma pesquisa divulgada pela Ideal Consulting, o consumo no Brasil aumentou 72% neste primeiro semestre. Em Cuiabá, a maior procura foi percebida também pelo sommelier do Big Lar, Mario Márcio.

Leia também:
Grupo Nativas inaugura nova Steak House com rodízio de carnes premium
 
“Neste momento de pandemia a gente sabe que as pessoas são limitadas a não sair de casa, e nessa situação que todos estamos vivendo, e falando de bebidas exclusivamente dos vinhos percebemos que existe essa procura. Inclusive, as pessoas que tem o hábito de degustar cerveja também migraram para o vinho, procurando conhecer, houve um interesse grande”, contou o sommelier ao Olhar Conceito.
 
Mario Marcio trabalha com o Big Lar há 25 anos, comandando a Cave Noble, adega do supermercado. A marca, inclusive, é uma importadora e tem exclusividade de diversos rótulos. “Temos muitos vinhos dos melhores países e regiões de vinícolas com custo beneficio muito bom. Então para quem está se interessando, querendo conhecer, temos opções de relação preço-qualidade muito boa”.
 
Rótulos

Mário Marcio (Foto: Rogério Florentino / Olhar Direto) 

Segundo o sommelier, mesmo os clientes antigos estão à procura de novos rótulos nestes últimos meses. A uva mais procurada, no entanto, continua sendo a cabernet sauvignon chilena. “Temos a linha Loma Negra que tem muita procura, assim como a San Steban, Santa Ema, e o campeão de vendas, que é a Pérez Cruz”.
 
Dos vinhos argentinos, os mais buscados são os das uvas malbec, como a linha Finca La Nina, Mosquita Muerta e Cordero Con Piel de Lobo. Além disso, também tem chamado atenção do público os vinhos da Domaine Bousquet, uma vinícula orgânica e vegana.
 
De Portugal, o sommelier conta que o público encontra grande variedade de rótulos, de diversas regiões do país, mas os ‘queridinhos’ são os da vinícula Quinta da Romaneira. 
 
Dos vinhos espanhóis, os campeões vem da Casa Solar, principalmente as uvas tempranillo, branco e rosé. Do Uruguai, a uva mais procurada é a tannat, com ênfase no produtor Juan Carral (linha tannat, malbec, chardonnay e reserva tannat).
 
Segundo Mario Marcio, os vinhos da linha Survivor, da Overtex Wines International (cabernet, chardonnay, sauvignon blanc) são boas para quem quer conhecer mais sobre o mundo dos vinhos.
 
“As pessoas, quando procuram o vinho, querem juntar duas coisas: querem ter a satisfação de degustar um bom vinho juntamente com o prato, e quando a gente faz essa primeira experiência e você percebe que o cliente gostou, ele retorna. E hoje ele compartilha e marca você, isso é importante, eles divulgam a seus pares e nas mídias sociais”, comemora Mario. “A gente percebe que o cliente começou no mundo do vinho e está buscando mais, e quando ele volta ele até leva aquele  mesmo rotulo, mas também procura novidades”.
 
A dica do sommelier para aqueles que estão começando a se aventurar é também apostar nos espumantes. “ Quando gente fala de Cuiabá, a gente não pode deixar de falar de espumante, que é uma bebida muito refrescante”, explica.
 
Dentre as indicações, estão os franceses como o Cruse, nas opções demi-sec e bruce (o demi-sec é mais suave) e o Duc Royal. De Portugal, a linha Marquês de Marialva, tanto branco quanto rosé, é uma boa pedida.
 
Há, ainda, uma exclusividade: a linha chilena de espumantes Apaltagua 100% Camernére. Do Chile, o sommelier ainda lembra do Santa Ema Extra Brut branco. “O meio seco, para quem está começando e quer alguma coisa mais tranquila, é uma boa ideia, e harmoniza muito com a nossa culinária, e também bacalhau, suíno, pancetta”, completa o sommelier. 

Na loja do Big Lar da Avenida Miguel Sutil, o cliente tem atendimento com o Mario Márcio e tem a Greice Kelly. Já no Jardim das Américas, os sommeliers são Daniel e Roberto Correa.


 
Aumento
 
Os dados da Ideal Consulting mostraram que o consumo de vinhos e espumantes pelos brasileiros passou de 2,13 litros em 2019 para 2,37 litros em 2020, se levar em conta o primeiro semestre. Já nos dados de abril a junho, o aumento foi ainda maior: 2,81 litros, recorde da série histórica, o que representa um crescimento de 72% em relação a de janeiro a março.

Comentários no Facebook

Redes Sociais

Sitevip Internet