Olhar Conceito

Sábado, 02 de julho de 2022

Notícias | Política Cultural

IDENTIDADE HISTÓRICA E CULTURAL

Dupla baguncinha e maionese temperada se torna Patrimônio Imaterial de Cuiabá; você sabe o que isso significa?

Foto: Gustavo Belatto

Dupla baguncinha e maionese temperada se torna Patrimônio Imaterial de Cuiabá; você sabe o que isso significa?
Receita popular e preferida entre os cuiabanos, o baguncinha e a maionese temperada, sua fiel escudeira, foram declarados Patrimônio Cultural e Imaterial de Cuiabá no dia 29 de março, após o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) sancionar a lei 6.786 de 2022, de autoria do vereador Adevair Cabral (PTB). Mas e você, sabe o que significa quando um bem imaterial se torna patrimônio cultural?

 Leia mais: 
Vendedor de baguncinha há 40 anos, seu Dalton começa a trabalhar às 05h: “me sinto parte do patrimônio cultural”

Segundo a lei 3.774, de 20 de setembro de 1976, constitui patrimônio histórico estadual o conjunto dos bens móveis e imóveis existentes no estado, cuja conservação seja de interesse público por seu valor memorável histórico em MT ou no país, bem como pelo seu valor excepcional etnográfico, artístico, bibliográfico, natural, material ou imaterial.

A Constituição Federal de 1988 ampliou a noção de patrimônio cultural quando acolheu a existência de bens de natureza imaterial, que são as práticas da vida social que se manifestam em saberes, ofícios e modos de fazer, como uma receita típica que passa de geração em geração, ou celebrações de memórias ou costumes coletivos; formas de expressão cênicas, plásticas, musicais ou lúdicas; e nos lugares.



O tombamento de determinado patrimônio compõe conjunto de ações executadas pelo poder público com o objetivo de preservar, por meio de legislação específica, os bens culturais de valor histórico, cultural, arquitetônico e ambiental, os salvaguardando que não sejam demolidos, destruídos ou esquecidos. 

Mas por que categorizar o Baguncinha e a Maionese Temperada como patrimônios imateriais? Para que seja preservado, zelado, cuidado e protegido as tradições e técnicas “do fazer” e “do saber fazer”.

Polir, esculpir, construir, cozinhar, tecer, pintar as expressões do sentimento individual ou coletivo, como as manifestações religiosas, a música, culinária, gastronomia, dança, teatro somam-se como parte dos bens imateriais de determinado lugar que são transmitidos com o passar do tempo pelas pessoas, até que se formam em identidades.

Nesse sentido, o patrimônio deve ser preservado pelo Estado e pela sociedade. Os bens imateriais são transmitidos de geração a geração e são constantemente recriados e ressignificados pelos grupos por conta de seu ambiente, da sua interação com a natureza e a história. Com a transmissão do fazer e do saber fazer, cria-se um sentimento de identidade e continuidade que contribui para o respeito e o conhecimento da diversidade, seja ela natural, material ou imaterial.




No caso de Cuiabá, como Adevair Cabral justificou, o baguncinha e a maionese temperada formam, juntos, uma receita de tradição que há décadas faz parte do cotidiano daqueles que vivem no município. O fazer e o saber fazer da receita é, conforme a lei, uma manifestação que demonstra um dos nossos patrimônios, demarcado como um bem imaterial a ser preservado, cuidado, cultivado e memorado.



O patrimônio histórico e cultural do Estado de Mato Grosso utrapassa imóveis oficiais, igrejas ou palácios. Compreende  imóveis particulares, trechos urbanos, ambientes naturais de importância paisagística, passando por imagens, mobiliários, utensílios e, neste caso, tradições do saber fazer um tipo de receita.

O processo de transformação do lanche e da maionese começou em 2021, com o Projeto de Lei nº 4933, de autoria do vereador Adevair Cabral (PTB). O Projeto de Lei especifica os “baguncinhas” feitos em bares, lanchonetes e trailers de lanches, além de demais estruturas similares.

Segundo Adevair defendeu à época da tramitação do projeto na câmara, “sem dúvida o Baguncinha, enriquece a gastronomia cuiabana, e ainda, reverenciamos a dedicação e o esforço dos nossos comerciantes que abrem seus estabelecimentos diariamente para atender bem as nossas famílias, a população toda local de um modo geral a diversidade dos seus frequentadores que são recebidos sempre com alegria e respeito, e esse tratamento diferenciado leva à convergência da tradição e vínculo de amizade”, aponta outro trecho da matéria.


 
O Baguncinha é preparado com: pão próprio, hambúrguer, ovos, queijo, presunto, alface, tomate, salsicha, bacon, calabresa e acompanha a maionese temperada. 
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet