Olhar Conceito

Sábado, 28 de maio de 2022

Notícias | Perfil

EXEMPLO DE SUPERAÇÃO

Ciclista que perdeu os dois antebraços se prepara para pedalar mais de 1,6 mil km de MT a SP para visitar a mãe

Foto: Cachorrão Urel

Ciclista que perdeu os dois antebraços se prepara para pedalar mais de 1,6 mil km de MT a SP para visitar a mãe
Exemplo de superação e de como encarar as adversidades da vida com firmeza e largo sorriso no rosto, Wanderley de Lima Dias, ciclista de 59 anos que tem seus dois antebraços amputados contou que as consequências de acidente de trabalho em 2004 foram superadas com tranquilidade e que sempre se adaptou para fazer as coisas “de quem tem as mãos”. Com a bike, seguiu o mesmo pensamento e, em 2018, entrou para o esporte. Agora, já craque na prática, está se preparando para um circuito com mais de 1600 quilômetros: ele vai visitar sua mãe na cidade de Campinas, interior de São Paulo.

Leia mais: 
Opção de diversão, lazer e prática esportiva para qualquer faixa etária, Pedal da Guarda atrai centenas de ciclistas para circuitos em VG e Cuiabá

Refrigerista aposentado por invalidez, Wanderley de Lima Dias sofreu acidente de trabalho enquanto fazia a instalação de ar-condicionado em um estabelecimento comercial em Cuiabá, no ano de 2004. Na ocasião, teve que amputar seus dois antebraços após sofrer descarga elétrica.  

Anos depois, em 2018, ele conheceu o ciclismo por intermédio de um amigo que o desafiou alegando que ele não conseguiria andar de bicicleta. Wanderley não se abalou. Pelo contrário, se adaptou sorrindo e compôs uma bike que fosse capaz de ser utilizada por ele, mesmo com a deficiência.  
 

No começo, participava de pedais leves, com rotas que não passavam dos 40km. Depois, já imerso no esporte, pegou gosto pelos trajetos mais longos. De lá pra cá não parou mais e, em um ano, contou que rodou mais de 20 mil quilômetros, numa média de 50km por dia.

Para ele, o primeiro passo da adaptação para superar a deficiência foi aceitá-la sem receio. “Primeiro a atitude de não ter vergonha da deficiência”, contou. Além disso, explicou que seu principal objetivo é incentivar todas as pessoas a alcaçarem seus objetivos e sonhos, independente dos percalços. "Eu não quero aparecer, só quero que as pessoas se sintam inspiradas em fazer aquilo que está ao alcançe sem se prenderem nos obstáculos", acrescentou. 

 Questionado sobre a interferência das amputações em seu trajeto no esporte, Wanderley explicou que a segunda questão mais importante é “não reclamar por estar deficiente. Eu me adequei à coisas normais de quem tem as mãos. Então eu fiz um suporte na bike para os braços. Também não tive dificuldades para começar a pedalar. Não preciso das mãos para pedalar”, brincou.

Agora, já acostuma a fazer trajetos de 300km, 200km pelo estado de MT, Wanderley está em busca de uma missão mais longa. Ele está se preparando para ir pedalando até Campinas, em São Paulo para visitar sua mãe.

O itinerário completo e detalhado ainda não foi definido, mas ele já adiantou que irá sozinho, fazendo uma média de 150km por dia. Na bagagem, apenas roupas, barraca, colchão, coragem e muita disposição. Ele pretende concluir o trajeto entre 12 e 14 dias. Ele segue na viagem com um parceiro até a cidade de Aparecida do Norte. Depois, termina o percurso sozinho. 

Wanderley está aberto para quem quiser ajudar com patrocínio ou de qualquer outra forma. Para isso, basta entrar em contato pelo número (65) 99981-6606.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet