Olhar Conceito

Sábado, 05 de dezembro de 2020

Notícias / Saúde e Beleza

Disponível em Cuiabá, implante hormonal pode diminuir celulite, inchaço e compulsão por doces

Da Redação - Isabela Mercuri

12 Dez 2017 - 14:18

Foto: Assessoria

Ginecologista e obstetra Rozeno Costa que já faz aplicações em Cuiabá

Ginecologista e obstetra Rozeno Costa que já faz aplicações em Cuiabá

Populares após serem utilizados por famosas, como a atriz Bruna Marquezine, os 'implantes hormonais' já estão disponíveis em Cuiabá há algum tempo. Os implantes podem trazer benefícios secundários como aumento de massa magra, diminuição da celulite e do inchaço causado pela retenção líquida, além de diminuir a compulsão por doces – e é por isso que são tão procurados.

Leia também:
Alongamento de cílios vira febre e desencadeia novas técnicas; conheça o fio a fio e volume russo

O Brasil é pioneiro na criação de alternativas e na descoberta dos novos benefícios destes implantes, que são, na verdade, métodos contraceptivos e terapias hormonais. Elsimar Coutinho, referência mundial no assunto, foi quem criou os tratamentos, como os de Gestrinona, que previnem a gravidez, ajudam no tratamento da endometriose, e também trazem os efeitos ‘secundários’.

Em Cuiabá, o ginecologista e obstetra Rozeno Costa já faz as aplicações, após se especializar no assunto em um curso com o Dr. Elsimar. Segundo ele, estes implantes podem ser utilizados também na prevenção da osteoporose, de aterosclerose, para melhorar o colesterol bom e diminuir o ruim, diminuir o risco de infartos, além de melhorar a libido.
 
Ainda de acordo com o médico, é importante lembrar que o implante de gestrinona não emagrece, mas pode potencializar os resultados de quem treina e faz dieta, mantém alimentação saudável e funcional por aumentar os hormônios masculinos circulantes.

Os implantes são pequenos tubos de silicone que têm microfuros e são preenchidos com hormônios específicos para uma utilização precisa. “A prescrição é individualizada. O paciente chega ao consultório e é feita uma rigorosa avaliação de sua história médica, solicitado exames de sangue e de imagem, para, após os resultados, analisar o tipo de hormônio e a dose. Enviamos a receita para o laboratório e ele produz os implantes e nos envia”, descreve Roseno. Eles são produzidos no laboratório Elmeco em Salvador (BA), criado pelo Dr. Elsimar Coutinho, que atua na área há mais de 40 anos.

“Na realidade o implante é apenas uma via de administração dos hormônios, gestrinona, estradiol, testosterona, entre outros. Isso diminui o risco de esquecimento, diminui os sintomas causados pela passagem do hormônio pelo estômago e pelo fígado. A forma ativa do hormônio já cai direto na circulação”, frisa o médico de Cuiabá.

De acordo com a assessoria, a maioria dos implantes tem duração de um ano, mas também existem os que duram seis meses, e a inserção é feita no consultório, com anestesia local. São colocados de forma superficial, sob a pele, na parte superior do glúteo. A quantidade de implantes vai depender da necessidade de cada paciente.

Apesar de todos os benefícios, os implantes também têm seus ‘contras’: pode acontecer aparecimento de acnes, acentuação na queda de cabelo e até aumento da obesidade.

Rozeno lembra que, como todo tratamento de saúde, os implantes precisam ser prescritos corretamente. Eles servem para tratar doenças típicas e disfunções femininas e masculinas, mas é preciso que seja de forma individualizada, de acordo com as necessidades e características de cada paciente. “Podem ser utilizados como anticoncepcionais, na terapia de reposição hormonal, inibindo ondas de calor, alteração de humor, menstruação em excesso, diminuição da libido. Nas mulheres têm indicação precisa na endometriose e adenomiose, na TPM, diminuindo cólicas, irritabilidade, inchaço, enxaqueca, distúrbios do humor, entre outros”, finaliza.

Comentários no Facebook

Redes Sociais

Sitevip Internet