Olhar Conceito

Quarta-feira, 14 de abril de 2021

Notícias / Turismo

NA EUROPA

Estudantes refazem caminho dos Aliados na Segunda Guerra Mundial

Da Redação - José Lucas Salvani

02 Ago 2019 - 09:15

Foto: Reprodução/Assessoria

Estudantes refazem caminho dos Aliados na Segunda Guerra Mundial
Durante o mês de julho, 11 estudantes do Ensino Médio do Colégio Maxi, de Cuiabá, visitaram locais importantes da Segunda Guerra Mundial, como o campo de concentração de Auschwitz, próximo a cidade de Cracóvia, Polônia. Os cuiabanos fizeram a viagem junto de outros 20 alunos de outras escolas pertencentes ao Grupo Somos Educação de Brasília (DF) e Natal (RN), sob orientação de professores de História e Geografia.

Leia mais:
Perfil no Instagram divulga destinos em Mato Grosso e apresenta pontos turísticos para o mundo

"Foi uma coisa sensacional a viagem. Eu via acontecendo. Quando fomos ao campo onde os brasileiros morreram, lutaram na Itália, eu tentava imaginar a batalha em si. É uma cena bem pesada se você pensar, mas aconteceu mesmo", conta Henrique Zarour Pfannemüller, do 2º D. "É triste, mas tem que ser mostrado, senão acontece de novo. Por isso as escolas têm que fazer isso, para tentar evitar", acrescenta.

Os estudantes passaram pelo bunker onde o primeiro-ministro do do Reino Unido Winston Churchill se protegeu para traçar estratégias junto com os Aliados. Outro foi a travessia pelo Canal da Mancha até a Normandia (França), onde aconteceu o Dia D. O grupo também  conheceu o cemitério norte-americano famoso pelas mais de 9 mil cruzes simbolizando soldados mortos.

Durante a visita ao campo de concentração de Auschwitz, o diretor do colégio, professor Leão, conta que foi impossível não se emocionar. "Entramos nos alojamentos, na câmara de gás, foi um momento impactante. Não tem como não se emocionar, se arrepiar diante dos horrores que aconteceram naquele lugar", lembra.

Na Itália, conheceram o Monte Castelo, no norte, onde lutou a Força Expedicionária Brasileira (FEB). Já na Alemanha, em Berlim, os alunos visitaram o museu Topografia do Terror e viram restos e marcações no chão do Muro que separou a cidade durante a chamada Guerra Fria.

A viagem que durou 18 dias também incluiu passeios por pontos turísticos obrigatórios, como o Coliseu e o Vaticano (Itália), A Torre Eiffel e o Arco do Triunfo (França), o Parlamento Alemão, entre outros, salienta o diretor.

Comentários no Facebook

Redes Sociais

Sitevip Internet