Olhar Conceito

Quinta-feira, 04 de março de 2021

Notícias / Cinema

Cuiabana cria vaquinha online para estudar cinema em faculdade renomada de Cuba

Da Redação - José Lucas Salvani

13 Jan 2021 - 08:46

Foto: Reprodução

Cuiabana cria vaquinha online para estudar cinema em faculdade renomada de Cuba
A cuiabana Giulia Medeiros, de 29 anos, criou uma vaquinha online para poder arcar com os custos dos estudos de cinema na Escuela Internacional de Cine y Television (EICTV), localizada em Cuba. A instituição é uma das principais do mundo referente ao academicismo de cinema e possui um rigoroso processo seletivo. Ela é uma dos 12 brasileiros selecionados no processo do ano passado. 

Leia mais:
Laboratório de Comunicação e Cultura oferece bolsas de estudo de R$ 1,6 mil a jovens da periferia

O curso que Giulia irá fazer em Cuba é de Produção Cinematográfica. Além destes, o EICTV oferece também Direção, Roteiro, Fotografia, Montagem, Som e Novas Mídias. Para cada um dos cursos, são selecionadas cinco pessoas ao redor do mundo e Giulia foi a única brasileira aprovada para Produção, após uma rigorosa seletiva que incluiu uma prova, entrevista com membros da instituição e análise do portfólio.

Giulia precisa de R$ 30 mil. O valor necessário é referente ao equivalente a 6 mil euros. Esse valor é 25% do total gasto no curso, visto que os demais 75% são subsidiados pelo governo cubano e são referentes a moradia, saúde e atividades acadêmicas. Os 25% podem ser pagos em duas parcelas de 3 mil euros, sendo a primeira para efetivar a matrícula, além de despesas de transporte e documentação.

A EICTV fica localizada no município de San Antonio de los Baños. Giulia vai com sua filha de dois anos e seu companheiro. A ida de toda a família só está sendo possível após uma negociação com a escola, que concedeu visto a todos. O companheiro de Giulia está na reta final de sua graduação em geografia e irá acompanhá-la para cuidar da criança. Desta forma, Giulia poderá dedicar-se integralmente aos estudos de cinema.

“Tendo essa oportunidade de meu companheiro estar finalizando o curso de geografia, a gente vai conseguir que ele vá também para que cuide da minha filha e eu possa me dedicar. Após eu escrever essa carta, colocando todas essas condições e essa disponibilidade do meu companheiro, a escola autorizou os vistos deles para que possam me acompanhar também”, explicou ao Olhar Conceito.

Formada em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e pesquisadora de Pós-Graduação de Estudos de Cultura Contemporânea da UFMT (ECCO), Giulia sempre se viu como produtora cultural. Aos 11, participou de seu primeiro grupo teatral e aos 15 participou da Semana de Audiovisual (Seda), realizada pelo Espaço Cubo, atual Mídia Ninja e Rede Fora do Eixo.

Ao longo de sua formação em Ciências Sociais na UFMT, ela também fez um documentário sobre as mulheres do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST). e comandou uma oficina com os reeducandos do Presídio Carumbé, em Cuiabá. Para ela, o curso fez com que pudesse trazer um melhor aprofundamento sobre questões e temas que busca retratar no cinema.

“Com o processo de entrar no inverso da academia de ciências sociais, eu consegui aprofundar um pouco o meu olhar sobre as questões e temas que quero retratar no cinema. (...) As ciências sociais me trouxeram um pouco desse acúmulo teórico para que eu possa pensar na produção de um roteiro que não caia tanto nos estereótipos que a gente está acostumado ver em Hollywood e nas novelas”.

As aulas de Giulia estão previstas para iniciar em abril, então o valor necessário é mais urgente, porque corre o risco de não conseguir ingressar devido a falta de dinheiro. Para realizar uma doação, a partir de R$ 1, basta clicar aqui.

Comentários no Facebook

Redes Sociais

Sitevip Internet