Olhar Conceito

Terça-feira, 30 de novembro de 2021

Notícias / Saúde e Beleza

Saudável e bonita

"Pele negra precisa de cuidados específicos", alerta dermatologista; Confira dicas

Da Redação - Stéfanie Medeiros

11 Mar 2014 - 17:15

Foto: Reprodução/Ilustração

A pele negra, por ser popularmente conhecida como mais resistente às ações do tempo e do sol, muitas vezes tem seus cuidados negligenciados. A facilidade de se bronzear e a grande quantidade de melanina deste tipo de pele podem dar a impressão errônea de que ela não necessita de cuidados.

Leia mais: Retiro Desintoxicação promete contato íntimo com o corpo, a mente e o espírito em Chapada dos Guimarães

“Ao contrário do que muita gente pensa, a pele negra precisa de cuidados específicos devido a suas características únicas, como a maior quantidade de melanina e fibroblastos hiperativos”, explica a dermatologista Sullege Suzuki.

Cheia de particularidades, a pele negra é mais oleosa na região facial, e possui glândulas apócrinas e sebáceas maiores e numerosas, causando excesso de transpiração e aumento de oleosidade. Ela também apresenta grande reatividade de melanócitos, que acirra o surgimento da tão temida acne. “Por causa de suas características genéticas, a pele negra possibilita o surgimento desse problema, e para evitá-lo, o tecido precisa ser tratado com cremes não-comedolíticos, que previnem as ações de comedões na pele”, revela a médica.

Segundo a dermatologista, são vários os cuidados para deixar a pele bem cuidada, e entre eles, o filtro solar é item obrigatório em todas as temporadas do ano, e para deixar a pele lisinha, o acompanhamento de um especialista é fundamental. “A pele negra é uma das mais lindas e desejadas, porque todos querem um bronzeado perfeito, o que esse tipo de pele já tem por natureza. Mantê-la hidratada, brilhante e uniforme são cuidados essenciais”, disse a profissional.

A dermatologista vê como positivo o aumento da busca por tratamentos estéticos, desde que feitos com um profissional especializado, já que mesmo apta a todos os procedimentos, a pele negra possui algumas ressalvas por sua facilidade em adquirir manchas. “É comum casos de hiperpigmentação após procedimentos como o peeling e ácidos, mas essa frequência não diminui a importância do auxilio de um profissional capacitado para analisar o caso e conduzir rapidamente o quadro para um maior êxito no resultado final”, esclarece.

“Entre os métodos de depilação, o laser continua sendo o mais recomendado, desde que aplicado por um especialista. Devem ser evitados os barbeadores manuais, que possuem opção elétrica. Para deixar a pele bonita, vale a pena abrir mão da depilação em cera, e independente da escolha, sempre ter à mão cremes calmantes e anti-inflamatórios”, diz a médica.

Um dos problemas mais comuns, a foliculite ocorre quando o pelo se curva para baixo e penetra na epiderme, ou ao crescer em espiral dentro do folículo, causando inflamação. A dica da dermatologista é o uso de cremes com ação renovadora e antimicrobiana, que evita infecções e previne manchas.

Oposto ao excesso de oleosidade na face, o tecido no resto do corpo costuma ser ressecado, com maior aspereza nas extremidades e dobras, que tem origem no acumulo excessivo de queratina e na grande perda transepidérmica de água. “Por ser muito espessa e ressecada, a pele negra necessita de cremes hidratantes renovadores e com profunda penetração na camada córnea.

“Os produtos com óleos essenciais são importantes para a reparação da barreira e para impedir a desidratação do tecido”, finaliza a dermatologista, que também recomenda os hidratantes com base em uréia, que transportam a água presente no interior dos vasos sanguíneos para as células da pele, além dos cremes com base em AHA’s (alfa-hidróxi-ácidos), que retém água e também esfoliam o tecido.

Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Redes Sociais

Sitevip Internet