Olhar Conceito

Segunda-feira, 25 de janeiro de 2021

Notícias / Literatura

Novo livro de Eduardo Mahon traz realidade paralela onde segredos são penhorados

Da Redação - Isabela Mercuri

26 Jan 2015 - 09:01

Foto: Isabela Mercuri / Olhar Conceito

Novo livro de Eduardo Mahon traz realidade paralela onde segredos são penhorados
Não existe demarcação de tempo, espaço ou mesmo de quem são as pessoas, o quinto livro de Eduardo Mahon, O Cambista, é baseado em uma realidade paralela.

A história provocativa e crítica é a de uma sociedade onde os segredos são vendidos e penhorados em empresas. “O cliente chega e conta um segredo que terá o valor avaliado. Então acontece como em uma penhora normal, se o cliente não pagar os juros, o segredo se torna posse da empresa, que pode fazer o que quiser com ele”, explica Mahon.

Leia mais:
Dialogando com a morte: Eduardo Mahon aposta no tema fúnebre para lançar novo livro
Lançamento de livro de Eduardo Mahon reúne mais de 500 pessoas em festa cheia de novidades

Dentro desta realidade, um garoto chamado Erik Brum vai até uma empresa com uma proposta de fazer uma nova fórmula para maximizar o ganho, objetivando o custo dos segredos. Paralelamente, um segredo de Erik entra na empresa, e ele tem que lidar com a situação de tentar resgatar seu segredo sem trazer danos à mesma.

O romance (primeiro livro deste gênero escrito por Mahon) se desenrola sob essa e outras confusões que podem ou não ser decifradas. “A literatura pós-moderna chama o leitor para a obra e deixa ele construí-la junto com o autor”, comenta Mahon, que afirma ainda que seu objetivo com a história não é convencer ninguém, “eu quero a confusão”.

Por trás da realidade paralela e de todas as possibilidades do romance, no entanto, está uma crítica ao mundo atual: “No fundo o livro é uma crítica à sociedade de consumo. Nós já consumimos tudo, então daqui a pouco poderemos estar consumindo segredos também”, comenta o autor. Outros temas recorrentes na trama são os dramas humanos, como a inveja e a traição.

“O Cambista” será lançado oficialmente no dia 14 de abril, na Academia Mato-Grossense de Letras. Segundo Mahon, no evento haverá uma surpresa e até mesmo o espaço estará diferente do habitual.

O livro será distribuído na Livraria Cultura e, pela primeira vez com os livros de Mahon, também em formato “Kindle” (venda de livro para download): “Precisamos acabar com essa ideia de literatura regional. O livro foi feito em Mato Grosso, mas não é só daqui, deve ser do mundo inteiro”, comenta o autor.

Trabalhos Futuros

No próximo ano, 2016, Mahon lançará um livro de HaiKais, poemas pentassílabos de três linhas que podem ter dois, três e até quatro sentidos implícitos. “As pessoas acham que é fácil, mas fazer um Hai Kai é muito complexo”, explica Mahon.
Segundo o autor, este tipo de poema é vantajoso porque tem muita aceitação dentre os jovens, que compartilham nas redes sociais e entendem os poemas: “As pessoas querem cultura e esperam cultura, mas uma cultura mais acessível, menos academicista”, complementa.

Para daqui a dois anos, o projeto é lançar mais um livro de micro-contos, no estilo de Dr. Funéreo. “As tentações de Gregório” é um livro que traz 70 contos, 10 para cada pecado capital, e que contará com ilustrações de Gonçalo Arruda.
“O livro trata do pior do ser humano, do mais patético, do mais ridículo, do fim da linha”, conta Mahon. Ele escolheu um artista mato-grossense para fazer as ilustrações, que estarão por todo o livro.


Capa do livro "As tentações de Gregório" (Foto: Isabela Mercuri / Olhar Conceito)

Comentários no Facebook

Redes Sociais

Sitevip Internet