Olhar Conceito

Domingo, 28 de novembro de 2021

Notícias / Saúde e Beleza

Verdade ou mentira?

Médico esclarece os mitos mais comuns sobre as hemorroidas

Da Redação - Stéfanie Medeiros

15 Out 2013 - 17:20

Foto: Ilustração

Médico esclarece os mitos mais comuns sobre as hemorroidas
Muito se diz sobre as hemorroidas, embora muito do que se sabe seja mito. Comer comida apimentada e prisão de ventre dão hemorróidas, hemorroidas dá câncer, quem tem a doença não pode andar a cavalo, de bicicleta ou ficar muito tempo no vaso sanitário. São tantas coisas que não sabemos o que é verdade e o que é mito.

Leia mais: Descoberta nova substância química que pode levar à cura de Alzheimer

O cirurgião geral Silvio Gabor esclarece algumas das dúvidas mais freqüentes sobre o assunto. Mas antes de entrar nos mitos, é preciso esclarecer o que é, no final das contas, hemorroidas.

Hemorroida na verdade é uma estrutura anatômica normal no canal anal, responsável pela proteção da região. Ela é constituída de veias que ajudam a manter a continência fecal e a realizar a drenagem venosa da região. É quando estas veias dilatam que chamamos de doença hemorroidária, que pode ser acompanhada ou não de inflamação, hemorragia (sangramento) ou trombose (coagulo na veia ou coração).

Vejamos os mitos mais comuns sobre a doença:

“Ficar sentado muito tempo no vaso sanitário favorece o aparecimento de hemorroidas"

Segundo Silvio Gabor, não é o ato de ficar sentado que causa o problema, e sim o hábito que as pessoas constipadas têm de permanecer muito tempo no banheiro fazendo grande esforço para evacuar. “Dessa forma, elas aumentam pressão sobre as veias hemorroidárias. Se a pessoa apresenta um bom funcionamento intestinal, nada acontecerá se passar horas nesta posição. O problema é imprimir força excessiva”, alerta.

“Hemorroida causa câncer”

Hemorroida nunca vira câncer. “Alguns sintomas da doença, no entanto, são parecidos com os apresentados quando se tem câncer do reto e ânus, como sangramento. Por isso, é importante ir atrás do diagnóstico correto, especialmente quem tem mais de 50 anos. Reforço a recomendação de que todo sangramento anal deve ser avaliado por um médico”, diz o cirurgião.

“Alimentos picantes aumentam o risco das hemorroidas aparecerem”

A ingestão de condimentos não causa hemorroida. Porém, pessoas que já desenvolveram a doença, não devem consumir esses alimentos por serem irritantes em tecidos inflamados, piorando os sintomas. “A orientação para os pacientes é evitar itens cáusticos, que vão agredir as veias na saída das fezes. E priorizar uma dieta rica em fibras e abundante em líquidos”, recomenda Silvio Gabor.

“Prisão de ventre causa hemorroida”

A constipação intestinal é caracterizada pela dificuldade eventual ou constante de evacuar, tornando as fezes ressecadas. É uma alteração normalmente relacionada à má alimentação e a pouca ingestão de água. "Se a pessoa já tem o problema, o esforço repetitivo, durante as evacuações, levará ao crescimento das veias, fazendo com que as hemorroidas internas se prolapsem e se exteriorizem. Por isso, a mudança de hábitos à mesa é fundamental tanto para a prevenção, quanto para o sucesso do tratamento das hemorroidas”, informa o médico.

“Andar de cavalo ou de bicicleta contribui com o aparecimento das hemorroidas”

Isso só acontece se o indivíduo passar boa parte do seu dia em cima da cela ou do selim. Para quem já tem o problema, recomenda-se evitar esses meios de transporte. Atividades físicas como ciclismo e equitação também devem ser evitadas porque exercem pressão sobre a região anal. “Em termos de atividades físicas, a ginástica favorece o bom funcionamento intestinal. A caminhada e a natação são indicadas e auxiliam, inclusive, no alívio dos sintomas do problema. O exercício melhora a circulação sanguínea, que, por sua vez, minimiza a inflamação associada à hemorroida. Também ajuda a manter o peso corporal saudável, reduzindo a pressão sobre as pequenas veias do ânus”, explica Gabor.

“A gestação favorece a dilatação dos vasos do ânus e favorece o surgimento de hemorroidas”

A maioria das grávidas têm hemorroidas, mas os sintomas geralmente são discretos e não necessitam de tratamento medicamentoso, apenas orientações de dieta. Os casos intensos requerem remédios. A cirurgia nesse período deve ser evitada sempre que possível. "Muitas mulheres nunca sofreram com o problema, que só aparece na gestação, em razão do aumento de peso e da pressão exercida na região pélvica. É possível também que a dilatação da veia surja durante o segundo estágio do trabalho de parto. Vale ressaltar que a disfunção é mais comum em quem já apresentava prisão de ventre antes de engravidar. É preciso estar atento também ao período de amamentação, quando a mãe perde muita água para fabricar o leite materno. É preciso se hidratar bastante para não ficar com as fezes ressecadas e ter propensão à hemorroida”, informa o cirurgião.

“Hemorroidas sempre causam dor na região anal”

A dor não é um sintoma obrigatório. Sua ocorrência depende do tipo de hemorroida, sendo mais comum nas externas do que nas internas, e nas que têm saliências grandes. "As hemorroidas incomodam quando se encontram exteriorizadas, inflamadas ou quando se complicam devido à trombose. É importante saber que as hemorroidas internas tendem a ser menos sintomáticas: o único sinal indicativo pode ser a presença de sangue na evacuação. As externas, por sua vez, são em geral sintomáticas, associadas a sangramentos e dor ao evacuar e sentar”, explica Silvio Gabor.

“Uma das melhores formas de prevenir as hemorroidas é beber muita água”

É obrigatório manter o processo digestivo em movimento. Para isso, vale beber pelo menos oito copos de água ou de qualquer bebida descafeinada por dia. Frutas, vegetais e grãos integrais, importantes fontes de fibras, contêm água e ajudam na hidratação. "Estes alimentos passam pelo trato digestivo sem serem atacados pelas enzimas. Conforme se locomovem, absorvem várias vezes o seu peso em água, produzindo fezes compactas, pesadas e macias, facilitando a evacuação sem necessidade de esforço. Em quase metade dos casos de constipação intestinal, causa comum de aparecimento das hemorroidas, o consumo de alimentos com essas características é o melhor tratamento”, observa o médico.

“Quem tem hemorroida não pode fazer musculação”

“A restrição vale apenas para indivíduos que apresentam a doença em grau avançado, com inflamação e dores frequentes. Exercícios intensos que envolvem levantamento de peso podem, sim, agravar a hemorroida, já que promovem um aumento da pressão nas veias da região anal”, diz o cirurgião.

“Sangramento na região anal, principalmente ao evacuar, é sempre causado pelas hemorroidas”

Não. No local, podem ocorrer disfunções como fissuras anais, fístulas, inflamações e tumores, que, como a hemorroida, provocam sangramento. “O sintoma pode aparecer em decorrência de doenças do esôfago, estômago, intestino delgado e grosso, reto e canal anal. As mais frequentes, e benignas, são as hemangiomas do intestino fino, males inflamatórios e infecciosos do cólon e fissura anal. Já a maligna é o câncer do cólon e reto, cada vez mais comum, cujo atraso no diagnóstico piora as chances de cura. Por isso, é fundamental procurar um médico. Como o câncer de cólon e reto é comum após os 35 anos, quem atinge a faixa etária deve fazer anualmente um check-up do aparelho digestivo, que inclui avaliação de cólon, reto e ânus”, recomenda Gabor.

“Sexo anal pode provocar o aparecimento de hemorroidas”

Não há relatos de que a prática é um fator desencadeante. “O ato sexual pode causar microtraumas e fissuras na região, mas não chega a ser a causa do problema. Os cuidados com o sexo anal devem ser relacionar, sim, à prevenção de transmissão de doenças e ocorrência de lesões no local por falta de relaxamento da musculatura e lubrificação”, diz o médico.

“Usar papel higiênico provoca o aparecimento das hemorroidas”

Não há relação de causa entre o papel higiênico e a disfunção. “Claro que se a pessoa apresentar as hemorroidas externas muito inflamadas, o emprego do banho de assento para higiene poderá se mostrar mais confortável”, orienta Silvio Gabor.

“Pomadas aliviam os sintomas das hemorroidas”

As pomadas podem ser empregadas nos casos leves da doença para minimizar o desconforto, bem como no pós-operatório, mas é importante deixar claro que não curam o problema. A veia hemorroidária, uma vez dilatada, não volta ao seu estado natural só com medicações tópicas. “Algumas pomadas têm como substância básica o hamamélis, que oferece poder anti-inflamatório, a camomila, calmante, e a babosa e o confrei, que são cicatrizantes. O banho de assento é outra alternativa para alívio dos sintomas: basta colocar 1,5 litro de água morna numa bacia e permanecer sentado por 5 ou 6 minutos. Pode-se repetir a operação de três a quatro vezes ao dia”, explica o cirurgião geral Silvio Gabor.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Redes Sociais

Sitevip Internet