Olhar Conceito

Terça-feira, 22 de setembro de 2020

Notícias / Saúde e Beleza

Experiência do Programa Parto Adequado da Unimed Cuiabá é apresentado na ALMT

Da Redação - Fabiana Mendes

07 Mar 2020 - 14:00

Foto: JLSIQUEIRA / ALMT

Experiência do Programa Parto Adequado da Unimed Cuiabá é apresentado na ALMT
A médica obstetra Fernanda Monteiro Siqueira Juveniz, coordenadora do Comitê Educativo e do Programa Parto Adequado (PPA) Unimed Cuiabá, apresentou dados e a experiência exitosa na Saúde Suplementar, que busca a redução das cesáreas agendadas desnecessárias, focando na saúde da mulher e do bebê.

Leia mais:
Parto humanizado esbarra na falta de estrutura dos hospitais de Mato Grosso

As informações foram repassadas na primeira reunião de 2020 da Frente Parlamentar Saúde da Mulher da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), com o tema "Parto Humanizado". O encontro ocorrido na terça-feira (3), mostrou que a maioria dos hospitais da rede pública de Mato Grosso ainda não possui suporte adequado para o atendimento das gestantes que buscam o parto normal humanizado com analgesia (parto sem dor), o que inclui equipamentos, ambientes (quartos) e equipe profissional treinada.

A obstetra pontuou que o número de cesáreas na rede particular de saúde em Mato Grosso, antes da criação do PPA era de 98%, acima dos 60% apontados pelo Ministério da Saúde.  Com o trabalho realizado em dois hospitais particulares de Cuiabá, o número de partos vaginais aumentou para 18% entre todas as gestantes e 50% em relação às mães de primeira gestação. "A Unimed Cuiabá busca por meio do Curso Gestantes desconstruir diversos estigmas em relação ao parto, mostrando que é possível ter uma experiência positiva e segura para toda a família sem recorrer à cirurgia". 

Ela frisou ainda a importância do diálogo entre o médico pré-natalista e gestante, aspecto essencial para a preparação do plano de parto. "Apoiamos o parto adequado, o que seja melhor para a saúde da gestante e do bebê. Parto vaginal ou cesárea, toda experiência de trazer ao mundo uma vida deve ser humanizada e repleta de cuidados", sintetizou.

Referência em parto humanizado no Estado, a ginecologista e obstetra Caroline Paccola explicou que o parto vaginal fortalece a saúde do bebê e oferece a melhor recuperação para as mulheres. Mesmo frente a melhores índices, a opção ainda é estigmatizada no Brasil por causa do modelo de assistência mais antigo. "É preciso melhorar e garantir o acesso das gestantes ao pré-natal adequado, assim como melhorar a infraestrutura e o recursos humanos para prestar melhor atendimento às futuras mamães".

Participaram também do debate a coordenadora estadual da Saúde, da Secretaria de Estado de Saúde (SES), Inês Stranieri, o Deputado Estadual Xuxu Dal Molin (PSC), Dr. João de Matos (MDB) e Paulo Araújo (PP). Além disso, estavam presentes os membros da Frente Parlamentar da Saúde da Mulher, os deputados Dr. Gimenez (coordenador), Janaina Riva, Max Russi, Dr. Eugênio e Dr. João de Matos.

Comentários no Facebook

Redes Sociais

Sitevip Internet